Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Este sentimento que me persegue...a angústia

por Pó de Arroz, em 22.06.17

Hoje acordei com esta angustia parva no peito. De vez em quando, lá vem ela bater-me à porta.

Mas se em tempos a ignorava e a queria esconder, hoje sei que a devo acolher e conversar (com ela). Tentar percebe-la, ama-la para que ela nunca mais volte a me incomodar. Mas também sei que ela não desaparece assim de um dia para o outro... tenho de ser persistente e acima de tudo paciente... 

Tenho conversado com ela, (a angustia), e já a vou compreendendo... mas agora não sei o que devo fazer a seguir. Não consigo compreender qual é o meu próximo passo. Vejo tudo como incansável... pior... percebo que é o medo que me bloqueia...

E no meio desta conversa toda... percebo que o problema é que ainda não tenho bem definido no meu coração tanta coisa... por mil e um motivos... 

Nesta altura do mês em que tudo fica meio parado... é quando ela normalmente ataca... quando sente que tem alguma hipótese de conseguir atenção da minha parte... e sim, realmente consegue.

Preciso mesmo de ir mais fundo e continuar a trabalhar em mim. Tanta coisa já mudou... mas quero continuar a caminhar. Preciso continuar. Depois do processo iniciado, já não dá para voltar atrás.

Amo-te angustia, preciso que saibas disso! Porque continuas a me incomodar. E eu vou cuidar de ti!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Jornada sem fim

por Pó de Arroz, em 12.05.17

Compreender que a vida é uma jornada sem fim. Não temos uma meta a alcançar e depois a partir daí tudo é perfeito. É um trabalho para ser feito diariamente. E todos os dias são uma bênção. Uma porta de oportunidades. 

Cabe a cada um de nós conseguir encontrar a sua própria Paz e realizar cada tarefa do dia com AMOR.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mestre Espiritual... Um sonho... uma mensagem?

por Pó de Arroz, em 08.05.17

Ontem deitei-me com a cabeça a mil à hora... Conseguir superar os meus medos foi mais um degrau que subi. Senti-me abençoada. Senti-me feliz. Senti-me agradecida.

No momento de receber a bênção, frente a frente, olhos nos olhos, só conseguia pensar na palavra "obrigado". Recebi um sorriso de volta!

A noite sonhei com ele... apareceu... tocou-me no ombro e disse: - "Não tenhas medo. Confia em mim." E depois foi estranho, foi como se me tivesse batido... sem me tocar. Depois comecei a sentir uma mistura de sentimentos negativos... que foram arrancados do coração. E acordei... com o coração a bater... confusa... e ainda estou confusa... mas acredito que faz parte do meu caminho. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Este sentimento que me persegue...

por Pó de Arroz, em 26.04.17

Continuo a sentir-me à deriva. Impotente. Bloqueada. Sem rumo. 

Pior... De Vitima... de coitadinha... (Resultado de imagem para emoticon sirenetoca a campainha do alarme!!!!!)

Quem anda neste percurso, de busca por si própria, sabe que o caminho não é por aí!

E entrar nesta via, é fácil... muito fácil... muitas das vezes nem damos por isso... é tão tentador ficar só a lamentar... 

Também já percebi o meu GRANDE PROBLEMA. Eu só quero ter os resultados finais. Não quero passar pelos processos.

Mas para ter resultados, não há volta a dar. Tenho de passar por TODO o processo. 

Resultado de imagem para emoticon elefant

E um senhor muito querido, em tempos que já lá vão, quando tínhamos em mãos um desafio interessante, disse-me: - Sabes qual é a melhor forma de comer um elefante? Um pedacinho de cada vez...

E aqui estou eu a assumir o meu primeiro desafio. Uma ideia que me persegue há mais de um ano. Já falei dela, já pensei nela, já fingi que tentei fazer... mas sempre com a atitude errada.

Objectivo número 1

Acordar às seis da manha, beber um copo de agua morna com limão e meditar durante 10 minutos.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Limitações #1

por Pó de Arroz, em 21.04.17

Isto de olharmos “para dentro” tem muito que se lhe diga. Todos os dias aparecem pequenos assuntos para trabalharmos.

Uma das coisas que mais me incomoda é o sentimento de limitação que me acompanha em muitas das áreas da minha vida.

Trabalho – sinto-me limitada, presa, escravizada. Não pelo trabalho em si, mas pela forma como as coisas são. Um horário fixo, um local fixo, tudo demasiado fixo… nos últimos tempos, poucos desafios, pouco apelo à criatividade. Tudo demasiado monótono. O ter de cumprir um horário fixo, é uma das principais razões que me consomem… para acompanhar os meus filhos de corpo e alma, parece que me estão a fazer um grande favor. Ir com eles ao médico, a reunião da escola, as pequenas atividades que fazem… para conseguir estar presente, tenho de andar a pedir, ficar com a sensação de que estou em falta… que me estão a conceder em grande e especial favor… isto para mim não faz sentido…

Cada vez mais, estes pensamentos persistem na minha cabeça… devia-se viver em função da família. O núcleo mais importante de cada ser humano… e sinto que caminhamos cada vez mais em sentido contrário. Por isso não me admiro que cada vez mais as pessoas se sintam mal, com depressões, perdidas e sem rumo... falta a base!

E com esta pequena conversa mais uma pequena janela se abriu…

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dos destaques do Sapo...

por Pó de Arroz, em 11.04.17

Hoje este post aparecia nos destaques do Sapo. De alguma forma identifiquei-me e a curiosidade levou-me a ir espreitar!

Não estou propriamente na mesma situação. Porque felizmente, já tinha meio caminho andado.

A verdade é que as voltas da vida levaram-me a um posto de trabalho o qual não me identifico... O espaço, o local, as pessoas, a área de negócio... e fico presa apenas ao vencimento mensal...

Eu sei que é um sinal do Universo e estou a agradecer e a trabalhar naquilo que ele me está querer transmitir! Ainda não compreendi a extensão do que ele me pretende ensinar... mas lá chegarei! Por isso dedico-me, ou tento dedicar-me, de alma e coração, para completar o mais rápido possível o desafio, para me libertar o quanto antes e seguir em frente!

 

Todo este processo, em primeiro lugar, passa por me auto-conhecer. Compreender as verdadeiras razões. E só depois de tudo bem definido na minha cabeça e principalmente no meu coração é que posso passar para o próximo nível. Se não, corro o risco de cair nos ciclos repetitivos... e tenho consciência que já não quero mais este tipo de situação.

 

A página da minha vida foi virada... e um novo capitulo iniciou-se. Ainda não sei onde vai parar, mas sei que estou no caminho. Preciso de ter paciência. Preciso de levar as coisas a um ritmo mais lento. Somos ensinados a andar sempre correr e a pensar que não temos tempo... E depois esquecemo-nos de viver... Este abrandamento da vida é difícil de praticar... mas com um pouco de disciplina consegue-se. Uns dias melhores, outros dias piores... mas está tudo bem!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Autoconhecimento

por Pó de Arroz, em 16.03.17

Algures no tempo perdi-me. Fiquei sem vontade, sem me querer.

Vivia só por viver... respirava mas não estava consciente... caminhava sem rumo nem destino!

Conseguir resgatar-me tem sido um trabalho difícil... já lá vai mais de um ano... e sinto-me como se estivesse ainda no inicio... sem nada saber... e quanto mais procuro mais vejo que tenho de procurar!

Estou a amar cada momento... cada descoberta!

Só me apetece sorrir!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Presente

por Pó de Arroz, em 10.03.17

Desejo ser mais PRESENTE, mais centrada no momento, mais calma e tranquila!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aceitar... e Depois?

por Pó de Arroz, em 02.02.17

Nesta jornada tenho aprendido muito. E depois de me redescobrir, muita coisa passou a fazer sentido!

 

Depois de aceitar os factos, (da mudança de trabalho), havia que procurar soluções. Não podia mais continuar a fazer-me de vitima e coitadinha, era necessário arregaçar as mangas. Minimizar a situação com os miúdos e procurar novos horizontes que me permitissem voltar para mais perto de casa.

E depois disto bem resolvido na minha cabeça (levou sete longos meses)... a oportunidade surgiu... voltei para o local de onde saí... agora com novas condições e desafios...

 

Mas isso fica para amanha!

 

Com amor!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

1 ano

por Pó de Arroz, em 01.02.17

Faz hoje precisamente um ano que o Universo me colocou na derradeira prova. Privar-me daquilo que mais estimo. Os meus FILHOS!

Com a mudança de local de trabalho, deixei de os conseguir acompanhar e dar apoio... fiquei completamente perdida e sem chão...

E aqui, fiquei colocada entre a espada e a parede! Eles são o meu bem mais precioso e a as minhas musas inspiradoras para acordar todos os dias com vontade de ser uma pessoa melhor!

O Universo tem sido persistente e firme na demonstração daquilo que pretende para mim.

A parte mais complicada foi precisamente essa... aceitar que as coisas são como são e não como eu penso que devem ser. Tudo tem um propósito e estamos exactamente onde devemos estar. Depois ao final de cada dia, precisamos analisar aquilo que aprendemos e processar essa informação, para ver se estarmos no caminho certo.

Ainda sou um bebé neste mundo. Mas uma coisa é certa, o objectivo final está definido!

E o melhor de tudo, voltei a encontrar-me!

Com Amor!

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D